7.3.11

Sonhos Inebriantes

Em poucos dias meus sentidos se aguçaram
Mas às vezes era apenas enquanto dormia
Muitas das idéias dissipadas se mostraram mais úteis fora do papel
Idéias com cores, transparências, contornos e fluídos inspidadores
Vários ajudam por todos os lados
Faço o possível pra quebrar a rotina
saio do céu e caio no obscuro dessa cidade num piscar
Volto no tempo
Sujo as mão com carvão, fazendo fogo na caverna
fazendo desenhos nas paredes para no futuro me enxergarem
Vou pra frente um pouco mais
escrevo normalmente num papel com caneta esferográfica pra você me responder
depois mando mensagens tecladas em cabos de energia que atravessam o ar, chegam aos satélites e na sua tela uma imagem recheada de vontade de criar mais...
é só o começo ... é só o começo.

(esferográfica+corel)
Postar um comentário